domingo, abril 30, 2006

ponto morto


Enfrentamos grandes nomes com grandes expectativas.
Pr’sse cara a curiosidade era enorme. O filme já tá pra sair, e mais de 40 milhões de pessoas já leram os escritos do sujeito.
Queria ler o tal do Código, mas caiu em meus poderes outro: Ponto de Impacto. O livro que precedeu o megapop Da Vinci me irritou até minutos atrás, quando acabei!

A grande qualidade desse autor, supostamente, está em sua capacidade no mistério, em prender o leitor, em deixar as próximas linhas tão esperadas quanto necessárias. Que nada!
Entende-se as artimanhas do texto nos primeiros dois capítulos (no caso de um livro de Dan Brown não mais de 4 páginas!). Trata-se de uma seqüência de Cenas dos Próximos Capítulos: ele só conta o que vai acontecer em breve, mas demora umas cem páginas pra descrever qual é esta ação. Enquanto isso, enche lingüiça com personagens esteriotipados, 'perfeitos' e inteligentes como portas. Mas o que mais incomoda é que ele é extremamente redundante. Parece que escreve pra retardados; não há nada subentendido; tudo é repetido sem que tenhamos a mínima possíbilidade de criar, de dialogar ou impressionar diante do exposto. Quase um misto de revista Veja com Caras.
Uma decepção completa com o Dan Brown. A expectativa em cima do outro livro, agora caiu por terra.

E que venha o próximo livro da lista!

12 comentários:

Stela disse...

Nem todo o marketing tampouco a propagand boca-a-boca me convenceram de ler Dan Brown.
O filme eu pretendo assistir, sim, como forma de puro e simples entretenimento. Afinal, não perderei mais que duas horas e pouquinho da minha vida com isso... E alguns trocados.
Quanto aos livros, bem. Não dá pra encarar mesmo.
Bjo.

clem disse...

E como diria o sábio Mário Quintana,
"Há duas espécies de livros: uns que os leitores esgotam, outros que esgotam os leitores."

seventowers disse...

Pois é, eu até depois de ver o livro em tantas mãos dos vagões de metrô,senti uma certa curiosidade em ler o tal Código Da Vinci, depois da polêmica toda mais ainda, mas agora vc sabe que passou, ainda bem, com tanta coisa que tenho pra ler vc poupou muito do meu tempo com esta descrição tão entusiasmada. E olha que vc se sente assim meio alien qdo alguém olha espantado qdo vc diz que não leu. Ufa, sou um alien aliviado agora!
Valeu!

Sami Semi Neusa Light disse...

Ta ai... nada a ver com o assunto, mas achei vc ia gostar de saber... criei finalmente um blog pra mim.... EEEEE!! Entra la pra ver!!
Beijos!!
Ah, eu gostei do Condigo Da Vinci... mas nao li os outros livros dele! Estou esperando pra ver se o filme vai ser bom...

Lena disse...

Oi. Entrei aqui pelo blog do Rafa. Não li O Código Da Vinci e nem posso comentá-lo. Talvez leia antes de o filme entrar em cartaz. Isso porque tenho mania de ler o livro e ver o filme (e comprar a trilha tb). Mas não estou e nunca estive entusiasmada com o Código. Propaganda demais me enche o saco. E aí quero ser do contra. Nada original minha postura...
Falando em "próximo livro", já leu Italo Calvino? Gosto muito de O Cavaleiro Inexistente e O Barão nas Árvores (os dois fazem parte, junto com O Visconde Partido ao Meio, de uma trilogia chamada Os Nossos Antepassados. As histórias não estão interligadas. São narrativas fantásticas). Desses livros, eu faço propaganda...

"O Visconde narra a desventura de Medardo di Terralba, cortado em dois por uma bala de canhão durante uma batalha contra os turcos (...). O Barão conta as peripécias de Cosme de Rondó, que passa toda uma vida profícua sobre as árvores, sem jamais tocar o solo. O Cavaleiro apresenta-nos o irrepreensível Agilulfo, paladino de Carlos Magno, cavaleiro medieval completo, exceto pelo detalhe de não existir."

Isso está na orelha da capa do meu exemplar de Os Nossos Antepassados. Os nomes não são incríveis? Mas chega. Falei demais. Não encho mais a paciência com isso. ;-)

Fernando disse...

Vou ser o advogado do diabo do debate!! :D Eu li o Código da Vinci, e curti. achei uma leitura bem leve, nada pra ficar quebrando a cabeça e coisa e tal. De fato, a existência contínua de "cenas do próximo capítulo" enche o saco, mas depois vc se acostuma. e o grande lance desse livro (não li os outros dele, pq as histórias não me chamaram atenção e, como os outros, tenho uma infinidade de livros "na fila") é contestar a igreja católica. E ele conseguiu isso. Acho que só por isso já valeria a leitura desse livro. Outro dia eu li que um padre, após ter lido o livro, tinha se matado!! achei irado isso!! (não o cara ter se matado, mas um livro colocar em xeque tudo o que ele acreditava ser verdade...) sei lá... Dan Brown está longe de ser o melhor escritor que eu já li, mas acho que vale a diversão!!

janna maria disse...

iiiii se vc achou esse livro um saco, vai achar o código da vinci insuportável. de 40 a 50 páginas para explicar uma coisinha boba. é legal a parte de história, mesmo tendo fortes indícios de maluquice dele, mas de resto, se vc torcer bem o livro, restam umas 10 páginas interessantes hehehehe

g. disse...

tá, eu acho assim. se vc quer ler um livro que não te faça pensar, existem autores ótimos que podem fazer com que vc, mesmo decidido a ler simplesmente porque é divertido, venha a pensar. ou existem livros que simplesmente não exigem nada mesmo intelectualmente, mas esses tendem a ser irritantes.
quando vc pega um livro que em teoria se desenvolve em cima de um mistério, espera-se que o livro seja envolvente o suficiente pra que o leitor deseje desvendar o tal do mistério. se isso não acontece, o livro morreu na praia, e nem em um milhão de anos a pessoa que não se envolveu vai terminar o livro.
sei lá, vá ler bukowski. ou kerouac. diversos autores bons que fazem vc pensar mesmo quando esse não é o foco estão soltos por aí.

Fernando disse...

Percebo que a mocinha aí em cima não entendeu o meu ponto de vista, o que é uma pena. Enfim, acho que qualquer escritor que faça a população ler, independente de ser um gênio, ou um merda, já merece seus louros, uma vez que uma ínfima parcela lê algo mais do que um outdoor na esquina.

g. disse...

olha, eu sequer li seu comentário.

fernando disse...

hahahaha viu só!! é nesse sentido que eu acho louvável pessoas como o Dan Brown. Pessoas como a G. não lêem nem o meu comentário, mas vão atrás do livro!! hahaha

g. disse...

meu, vc nao me entendeu.... eu comentei sobre o que o andre disse. eu não tenho problema nenhum com o dan brown, nem li nada dele pra ter.... meu comentário foi com relação ao tipo de literatura que ele escreve e o reflexo que ela tem nas pessoas. tem gente que acha um saco descobrir o final do livro na metade, ué...