terça-feira, abril 11, 2006

a hora da morte


A Morte me atrai. Não que eu seja um suicida em potencial, muito menos um homicida com tendências terroristas. O que fascina é a personagem, a Dona, a figura esquelética coberta em manto preto. O simples fato de existir uma mulher fatal (com o perdão do trocadilho). Uma criatura deveres humana, que só é porque finda a vida. Essa coitada e banalizada só é lembrada quando age com precisão. Não importa sua função social, histórica ou evolucionista (tal qual sua definição Wikipedia). Quando surge, odiamos seu tão suado labor com o mais sincero e impiedioso sentido da palavra ódio.
E eu nem persegui a morte; ela foi um presente. E em duas semanas enfrentei esse tal Saramago, de ganhador de Nobel.
As Intermitências da Morte é um livro irregular: seus longos parágrafos podem ser tediosos com montagens insuportavelmente chatas de discursos prontos. Porém, surgem frases brilhantes, colocações inusitadas e parágrafos hilários.
De geral, ficou a curiosidade nessa garota; Tão genial quanto temida.

Aliás, a Dona Morte é a Personagem mais emblemática da Turma da Mônica. Quão existencial é uma turma de 6 anos de idade ter a Morte como companhia?

4 comentários:

Sami disse...

Ahhh, agora vc me tirou a vontade de terminar de ler o livro.. huahuahua!!
Estou meio que na metade... Tb estou achando um pouco sacal, mas agora que comecei, tenho que mata-lo de uma vez, nao? huahuahua!!
Beijos...

seventowers disse...

Caramba quero ler msm este livro do Saramago, ele é demais!
Mas como diria Platão a morte é só o caminho de volta ao início, a volta pra casa.
Agora , acho que na edição de aniversário do Maurício, saiu uma do Penado, com a turminha mortal toda, bem interessante, sobre o Will Eisner, lembra? Acho que é bem por ai, não tem fim!
Mas como foi a prova?
Um abraço!

g. disse...

Então, se tem alguém que pode potencialmente me transformar em sociopata é o Saramago. Mas não dei uma chance a ele ainda na minha vida adulta... Vamos ver um dia desses...

Sami disse...

Esqueci de falar, mas se quer ler um bom livro do Saramago, leia "Ensaio sobre a cegueira"... E muito bom! Tive que ler na epoca da facul, sabe... e adorei! Beijos...