domingo, agosto 26, 2007

papa don´t preach


Nunca sentirei a dor de um parto, não preciso controlar o garfo através de dietas bizarras, não me preocupo com furacões enquanto durmo à noite.
São sentimentos específicos de quem passa pela experiência de uma gravidez, da obesidade, do vício e de morar em locais "maltratados" pela natureza. Porém, mesmo não sentindo, são identificáveis, e até mesmo previsíveis; afinal conheço dor, fome e medo.
Há quase 1 mês entrei em contato com uma sensação tão forte quanto desconhecida: a paternidade.
Um upgrade da responsabilidade. Um ser vivo sob sua responsabilidade.
Diferentemente das plantas do jardim, se esse ficar sem água, ele vai reclamar. E se ganhar um gole de suco, seu rabo vai abanar.
E por momentos de alegria conjunta como esse, todo o xixi espalhado pelo chão da casa toda não importa.
Lidar com expectativa e frustrações podem trazer um lado negro sinistro à tona. Gritos e neuras surgiram em momentos inesperados.
Educação, treinamento, agenda, traumas, culpas e preocupações.

Pai sofre! Mas nada compara-se a alegria de um filho feliz!

4 comentários:

Ana disse...

que amor o lobomau!!!!!

ruth disse...

ooooooohhhhhhhh!
Tá lindo, daqui há pouco ele vai fazer o moonwalk,rsrsrs
Mas ele andando é muito fofo!
Tá lindo msm, o pelo brilha, parabéns

ĵåииå jōåиïņhå disse...

quem diria vc falando essas coisas hein ?!?!?
só uma observação: faz um filme decente aiiii não da pra ver nada do seu preto cão hehehe ;)

vc já viu as coisinhas de papelaria que tem na tok stok com o seu cachorrinho? coisas mais lindass

Stela Guimarães disse...

o lobo mau e' lindo mesmo!
bem, eu beeeeeeeem ser o que e' ser mae, de fato. proporçoes 'a parte, e' o melhor oficio que tenho e o henrique, meu filhote, a melhor obra ja' feita! :D