terça-feira, novembro 28, 2006

comportamento humano³


Atualizações atrasadas, tempo bagunçado. Algumas coisas começam a tomar corpo em casa (fôrmas novas, posterês à caminho do enquadramento e sofá encomendado). Mesmo assim, não consegui chegar à plenitude do controle temporal.
Nos últimos dias, três obras me atingiram:

A revisão da Nova Onda do Imperador provou que desenho animado propriamente dito é mais atraente que a tal 3D (que a cada dia estréia mais-do-mesmo). Várias surpresas num olhar mais antento: personagens apaixonantes, situações inusitadas e um timming impecável; simplesmente hilário!
Timming que, aliás, é dominado por Will Eisner. City People Notebook deveria estar na bibliografia básica de qualquer curso de Humanas! Os traços de Eisner não apenas captam a essência da vida na cidade, mas como transportam para o papel o sentimento, ângustia e felicidades urbanas de forma soberba. Toda a lógica de como passar uma cena prum desenho, em uma história ou simples rabiscos estão nas páginas desse livreto, com um domínio impecável dos recursos quadrinísticos.

Surpresa também ao conhecer uma obra do pai da Marina Person. O Caso dos Irmãos Naves é frio e humano. Filme de tribunal, com história real e situação inédita. Questões políticas, sociais e doutrinárias se enfrentam nesse que é um retrato da história do Brasil. Belas personagens, a vida do interior, a covardia, a repressão e os dramas presentes em qualquer cidade brasileira. O medo e a dor de toda uma nação. Filme que tem uma força questionadora pulsante, que fez sair do cinema com vontade de devorar livros de Direito e voltar à Ordem. Um filme de paixão, com paixão. Foda mesmo.

3 comentários:

Stela disse...

E eu ando pensativa depois de ver 'Antes do pôr-do-sol'.
Não esperava tanto do filme! O 'primeiro' eu vi quando tinha 15 anos. Agora estou chegando nos 30, então rola uma empatia natural com os personagens. Mas é muito mais que isso. O filme realmente parece coisa do Eric Rohmer, talvez mais 'simplificado'. Mas têm diálogos incríveis, comoventes e tão cotidianos... Ainda estou a pensar (faz 15 minutos que o filme acabou e ainda levarei algum tempo pra digeri-lo. Engraçado pensar isso após um filme tão 'simples').
É isso!
;-)

ruth disse...

Nossa "O Caso dos Irmãos Naves", eu assisti faz muito tempo, eu conheço a história, lógico, mas do filme lembro pouco. Vagamente, lembro que fiquei muito revoltada na época, lembro tbm do Juca de Oliveira como ator, eu acho. Pra quem faz direito deve msm dar vontade de retomar o "ideal" de justiça, é bem triste a história. Lembro que as cenas com juri eram marcantes, não lembro muito msm dele, mas é um bom filme sim! Agora, uma coisa que não sabía é que era do Luis Person, quem fala muito dele é o Jean Claude Bernardet, que tive oportunidade de conversar umas duas vzs, ele é uma figura, sempre achei que fosse só dele. Foi novidade esta.
A Nova Onda... vou ver, é divertido!
Agora por as coisas de casa em ordem e o fuso horário no lugar, leva tempo e requer paciência msm, mas posters são sinais de coisas legais, boa sorte!
Pena vc não ter vindo pro Nokia, estava muito legal!
bjs

ĵåииå disse...

opaaa sofáa novo então?!
como não sei comentar nada sobre os filmes que vc cita.. fico nos comentários sobre casa hehehehe que tenho entendido bastante no último ano.
escuta.. pq vc não fez cinema ao invés da frustrada publicidade???