sábado, dezembro 13, 2008

o fim do capitalismo


A crise de nosso sistema financeiro global já mostrava os dentes muito antes dos avisos de concordatas, bolhas imobiliárias ou oscilações* da bolsa.
Dobrando a esquina, no McDonald´s mais próximo, já percebemos que algo está errado:
Não existem mais os McNúmeros! Ou McOfertas!
Big Mac + McFritas + Coca-cola não é mais número um! Foi-se pedir pelo número!
Não só saíram as opções numéricas no cardápio, mas desconfiguraram o cardápio inteiro! Tentar escolher um pedido no balcão tornou-se um verdadeiro desafio visual. No lugar dos pacotes tradicionais, os banners acima dos atendentes mostram fotos mega produzidas de apenas algumas das opções. Mega não, ultraproduzidas. Tipo cartaz de blockbuster do verão. As informações sobre preços, pacotes, opções de sandubas e tal... sumiram!
Se o maior rede de "restaurantes" do mundo não consegue expor seus produtos, é um dos sinal dos tempos.

Parece até que numa reunião de cúpula da diretoria, o Ronald virou e disse: “ah, todo mundo sempre pede a mesma coisa, né? E todo mundo já come no McDonald´s mesmo; tem o cardápio tatuado em suas mentes! Pra que perder espaço com as opções? Vamos só lembrar os consumidores de alguns dos Mcs. O resto que se lixe”.
Outro ícone máximo, a Coca-Cola, já mostra suas mensagens de Natal. Porém, diferente dos outros anos, a tal criadora do Sr. Noel está com um spot sem sal. E, pior de tudo, genérico!

Troque a assinatura por margarina, supermercado, novela turca ou minisérie da globo que dá na mesma: uma produção "grandiosa", mas sem a magia e o humor da Coke.
Ainda não sabemos se os EUA vão passar grana pras montadoras, se as taxas de juros de 2009 serão monstruosas ou se segunda-feira teremos que tirar "férias coletivas". Mas os sinais estão cada vez mais próximos.

*ok, fui beeeeem generoso em substituir quedas por oscilações.
Ps: Essa mudança numérica implica ainda numa nova forma de envelhecimento. Já posso dizer que "sou do tempo em que se pedia McDonald´s pelo número".

8 comentários:

Anônimo disse...

putz, eu percebi que havia algo errado quando estive recentemente (recentemente means hoje!) na terra do ronald. mas eu não tive tempo hábil de tais análises porque logo migrei pra um japa fast food ao lado, em taubaté. japa não: o nome era oriental alguma coisa! achei estranho porque só pode ser restaurantes em terras brasileiras mesmo: só aqui achamos que oriental é "tudo igual", para desespero de chineses, japoneses, coreanos, vietnamitas etc.
achei estranho um restaurante meio china, meio japa. mas isso não significa necessariamente o fim do capitalismo: por ali tratava-se justamente do contrário. o tema do restaurante oriental é o auge do capitalismo fast food!

:P

XStela

Anônimo disse...

XStela, sanduíche de Costela, aliás. Que por esses dias anda chegado numa Bista. hahaha

X-teeeeeeeeeeeeeeeeeela.

é, o post ficou bacana mesmo. Mas eu ainda escrevo melhor. hahahaha

Loser no jogo, sorte no computador.

Anônimo disse...

somos os mais comentantes, comentadeiros, comentistas, comentaristas, comedoristas (?) ou qualquer palavra que renda um sic, sic, sic depois da blogsfera.

quer dizer, da nossa blogsfera! hahaha

ass. ain, eu de novo.

Renato Mahalo disse...

e pensar q antes diziamos: sou da época q a caixinha do mcdonalds era de isopor. o.O

Renato Mahalo disse...

e pensar q antes diziamos: sou da época q a caixinha do mcdonalds era de isopor. o.O

[EMERSON ABREU] disse...

Nem sei do que vc está falando :P

Do mcdonalds eu só peço a casquinha de creme na sorveteria do lado de fora mesmo... não gosto de aglomerações =DDDD

Stela Guimarães disse...

andré, visita o meu que eu comento no seu! a mais troca-troca pseudoliterário! ai, com hífen ou sem agora?

:S

tem coisa nova no velhinho artificial. aquelas coisas minhas de menininha sentimentalóide que sou.

:P

beijo!

Renan Ribeiro Adão disse...

MEU PRIMEIRO EMPREGO FOI NO MC DONALD , ELES FAZEM UMA LAVEM CEREBRAL EM VC,

E MESMO DEPOIS DE QUANDO VC SAI


SEMPRE QUE VE UMA PROPAGANDA, OU PASSA EM FRENTE A UMA LOJA , OU OUTDOR VC DIZ AUTOMATICAMENTE:


AMO MUITO TUDO ISSO!